Polícia Civil elucida latrocínio do radialista “Valdão” de São Jorge D’Oeste.

Valdão foi morto em frente à emissora onde trabalhava em março de 2016.

No dia 10 de março de 2016, por volta de 21h20min, no centro de São Jorge D’Oeste, o radialista João Valdecir de Borba, conhecido por Valdão, foi morto, vitima de um disparo de arma de fogo, enquanto apresentava seu programa na Emissora de Rádio Difusora.

Na ocasião, cogitou-se a possibilidade da morte estar vinculada a profissão da vitima, que transmitia programas policiais, fazendo criticas aos criminosos, podendo se tratar de vingança ou retaliação.

Após longo trabalho investigativo realizado pela Polícia Civil de São João, os autores do crime foram identificados, sendo um deles preso na manha do dia 30 de agosto, na cidade de Guarapuava.

Cleverson Martins Alves, 24 anos, foi interrogado e confessou a autoria do crime, detalhando como tudo aconteceu, afirmando que apenas atiraram na vitima porque ela reagiu, pois a intenção deles era subtrair dinheiro.

Segundo informações da Polícia Civil, os dois acusados objetivavam roubar o local, ciente que era de propriedade da ex-prefeita e de um deputado estadual, o que os levou a acreditar na existência de grandes quantias.

Ao chegar na frente da emissora, foram surpreendidos pela vitima, que abriu a porta para sair fumar um cigarro. Ao avistar um dos autores armados, Valdão tentou tirar a arma dele, sendo então atingido na região do abdômen. Na sequencia, a outra vitima que estava no local foi trancada no banheiro, sendo levado apenas seu telefone celular e sua carteira, esta posteriormente jogada ali mesmo, pois continha apenas documentos.

Os autores, certos do acionamento da Polícia Militar em razão do disparo, empreenderam fuga em um veículo Fiat Strada, roubado uma semana antes no município de Goioxim.

Este mesmo veículo foi usado no dia 19 de março de 2016, ou seja, nove dias após o latrocínio de Valdão, em outro roubo ocorrido na Lotérica da cidade de Candói, cuja suspeita recai sobre os autores do crime ocorrido em São Jorge, também suspeitos de diversos roubos ocorridos em toda a região.

Um dos acusados do crime, Valmir Sebastião Ferreira, 34 anos, foi morto em confronto com a Polícia Militar, no dia 06 de junho de 2016, na cidade de Foz do Jordão, quando portava uma pistola 380, mesma usada no latrocínio em São Jorge D’Oeste.

No entanto, a arma que efetuou o disparo em Valdão foi apreendida na posse do acusado preso no dia 30, se tratando de um revolver calibre 38, marca Taurus.

Segundo o detido, após atirarem em Valdão, perceberam a presença de outra pessoa no local, quando Valmir Sebastião passou a ordenar que Cleverson também o matasse, para não deixar provas do crime. Porém, Cleverson disse ter se recusado e apenas trancou a vitima no banheiro.

Ambos os autores já possuem diversas passagens pela Polícia. Valmir era acusado de outro latrocínio ocorrido em São Francisco de Paula, Rio Grande do Sul e de homicídio em Igrejinha, também naquele estado. Já Cleverson responde por outros crimes contra o patrimônio, entre eles roubo ocorrido em Candói.

Cleverson foi indiciado pelo crime de latrocínio, com pena de reclusão de 20 a 30 anos, e permanecera no Setor de Carceragem Temporária de Guarapuava, a disposição da justiça.

Por Ademir Hanzen com informações da Polícia Civil.

 


Curta e compartilhe:

Acompanhe no Facebook:

Deixe um comentário: